30/11/2009

Dedicado a ti João... Desculpa Iuri, pela primeira vez escrevi algo triste..Desejo de Natal...

João'Zinho este post é dedicado a ti...
      
A ti e a todos cujo o presente não é o mais feliz pois a familia que julgámos ter outrora, agora já  não   se    pode chamar isso pois já não o é!


Mas é sobretudo dedicado a ti...


Quem disse que a vida era perfeita e que só haviam era razões para se viver.. mentiu. Mentiu redondamente, como se costuma dizer. Mentiu pois de perfeita a vida não tem nada. Ao contrário do que alguns pensam a vida são bons e maus momentos e desses todos temos, infelizmente. Maus momentos que desejamos que nunca tivesse acontecido, maus momentos que no final até foi bom que tivesse acontecido pois assim ficámos a conhecer melhor a vida  a sua realidade, maus momentos que não nos lembramos, maus momemtos que nos marcam para o resto da vida... Em suma... Maus momentos. Felizmente a vida não são apenas estes terriveis e crueis acontecimentos (só para não repetir tantas vezes a palavra momento)que nos fazem tanto mal. Felizmente a vida também é feita de sorrisos, alegrias, paixões, amores, amizades, sentimentos puros de felicidade e companhia. Mas o que se quer tratar aqui( este post) são os ditos maus momentos. É sobre isso que quero falar hoje. Algo que todos nós velhos ou novos, bonitos ou feios, vivos ou mortos, já passámos. Especificamente quero tratar de algo que não me afecta só a mim mas também a uma  pessoa que é muito importante para mim, uma das pessoas que sempre esteve ao meu lado quando me senti mais frágil e precisei de mais carinhos, um dos meus melhores amigos,o João. Alguns não sabem mas infelizmente este verão, o João e a irmã Ana, passaram a fazer parte do avultado grupo de jovem que hoje em dia os pais estão separados. As razões porque o fizeram não são para aqui chamadas , mas o que é certo é que existem e que infelizmente o João e a Ana têm de lidar com as suas consequências todos os dias, verem os pais separados. Tal como muitos sabem eu sei bem o que é estar dividido entre a mãe e o pai pelo facto de estes já não se amarem e estarem separados.E se sabem isso provavelmente também sabem que durante o ano passado eu , a minha mãe e o meu irmão saimos de casa, deixámos o meu pai só, verdade seja dita ele mereçeu ficar assim, e fomos à procura da nossa felicidade todos juntos noutra casa , onde vivemos 1 ano até nos mudarmos de novo para casa do meu pai pois durante este verão o meu pai fez crer à minha mãe que tinha voltado a gostar dela, coisa que no exacto momento em que nos mudámos de novo , se desvaneceu por completo mostrando que afinal não passava de uma mentira de novo e que afinal ele já não gostava dela e que só lhe tinha dito aquilo para que nós voltássêmos para casa pois secalhar deve-lhe ter doido a conciência e percebeu o mal que nos tinha feito ao fazer com que nós deixássemos tudo aquilo a que toda a vida tinhamos estado habituados e que depois de termos saído a nossa realidade tinha mudado muito, muito mesmo. Adiante o que é certo é que desde Outubro que vivemos de novo com o meu pai e a vida aqui começa a ser aquilo que era há um ano atrás sensivelmente, um inferno. Ele ora está bem, ora está mal.Ora entra, ora saí. Ora grita, ora está calado. Se querem saber já me passou pela cabeça se ele não estará possuido por algo ou coisa parecida, juro que tal coisa já me passou pela cabeça, por isso podem ver tal é o meu estado de desespero. Para tentar abstrair-me disto ''criei'' a  forma que achei fácil e menos complicada de me sentir feliz.... ignorar e não pensar no que me rodeia dentro destas 4 paredes. Durante estes meses tem sido algo relativamente fácil e por incrive que pareça eu até me tenho sentido mais ou menos feliz ou pelo menos consigo divertir-me sem ter sempre isto na cabeça. Apesar de ser uam realidade que inventei é a única feliz que tenho por isso tenho-me agarrado a isto . Mas tal como todos sabem estamos a entrar em Dezembro e como tal vem aí a época e o dia mais esperado por muitos  e o mais desprezados inesperado por outros. Este sim é o meu caso. O meu e o do João. Já há alguns dias que eu e o João temos tido esta conversa, e ela é sobre onde e como será que iremos passar o Natal. Sinceramente começo a partilhar da mesma ideia que o João... fechar-me na cave ou no quarto, qualquer coisa serve e não ter de passar o Natal com ninguém. Eu não faço ideia como será este ano o meu Natal. Não sei se será como o do ano passado em que passei um pouco com cada um ou será como eu sempre, desde pequena, desejei que não fosse. Passado só eu, o mue irmão, o meu pai e a minha mãe, sozinhos na noite da consuada apenas os quatro. Isto acontece porque a minha mãe não quer passar o natal com os meus tios paternos e o meu pai não quer passar com os meus avós maternos. Antigamente o meu Natal era sempre maravilhoso. Com os meus tios, o meu primo, os meus avós, o meu irmão e os meus país. Casa cheia era o que eu mais gostava. Á meia-noite ver todas aquelas prendas, toda aquela magia natalicia, toda aquela felicidade, todos aqueles sorrisos. Talvez tudo isto fosse falso, não sei, ,mas pelo menos era a minha fantasia de natal, algo que eu tinha sempre a certeza que aconteceria todos os anos.Agora aquele dia que outrora era o meu dia preferido do ano, é aquele que mais desejo que passe depressa e que não chegue.Mesmo que fosse uma realidade falsa, eu gostava que tudo voltasse  ser como dantes. Era o meu único desejo de Natal ...








13 comentários:

Isa disse...

Agora que o pediste , espero que ele se realize. E que este Natal, seja diferente para ti, seja um deslumbramento da verdadeira felicidade. Para ti, e para o teu amigo. Que juntos, de mão-dada, cheguem ao horizonte.
Um beijo cheio de força e ganhaste mais uma seguidora :)

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

:)

Isa disse...

Vou ter um prazer em cá passar sempre !
E já ando a divulgar o teu blog, para que possam ver o que é realmente: ESCREVER :)

Rita da Maçaroca disse...

Bem me aconselhou o Iúri a cá vir. E a minha visita nao foi de todo em vão. Parabéns pela escrita. Parabéns pela força em todas as palavras. Dou.te um pouco da minha para que acreditares num melhor amanha :)

Ficarei de olho nas tuas palavras tao puras. E que este Natal seja melhor para ti, para mim, para todos nós...

Beijinhos querida Bá!

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

no tens de me pedir desculpa de nada...
amiga ganhas te 3 seguidoreas das minhas favoritas

a rita é uma comedia...so rir ca doida..

a gabriela..um amor...

a isa...nao tenho palavras..é a minha poeta

Ritinha (: disse...

Que textão ! Escreves tão bem *.*

Ritinha (: disse...

O teu comentário, que lindo!
Sim, provavelmente temos isso em comum. Sempre que estou mal ou assim, desabafo para um papel, para o pc ou assim. A escrita é como um refúgio para mim! Segui também minha querida (:
Beijão.

Rita da Maçaroca disse...

Ahahahah O Iúri só diz mal de mim :S
Mas é verdade :x E' so' rir comigo :D

Obrigada querida Bá! É sempre um prazer ter-te por lá. E fico contente que tenhas gostado dos meus textos. Fico mesmo. A's vezes um raio de luz ilumina-me e sai-me destas noites. Sou muito apaixonada pela vida e todos os momentos servem de inspiração. Já escrevi muitos textos deste tipo e sempre fui muito directa e sem tabus :) Só digo o que todos pensam em segredo. E ver que todos recebem os meus textos com agrado é das melhores sensações do mundo *

Tens-me aqui sempre que precisares. Acredita! :)

Beijinhos do tamanho do Mundo*

Ritinha (: disse...

Somos mesmo tão parecidas nisso :o. A verdade é que a escrita "não nos dá uma resposta" mas, a mim pelo menos, serve para me soltar, para não descarregar noutras pessoas.
E tal como tu, tem sido também assim comigo, desde há muitos anos, desde que me lembro *.*

'Drii disse...

gostei bastante :)
ganhaste mais uma seguidora :b

jonel disse...

Alguem chamou a atenção para este blog.
Como vêm cá estou, mas numa altura se calhar indevida.O tema é para mim bastante constrangedor, porque sou pai e separado(não divorciado)e compreendo muito bem o vosso problema.Todavia assumo com coragem este tema pois acho que devo isto a alguem..."a minha separação foi consensual baseada no nosso amor. Houve essa necessidade de separação precisamente porque nos amamos e continuamos a amar. Eu fiquei com os meus tres filhos que vivem comigo, como companheiros de folias e amigos.A sua mãe visita-os várias vezes por semana na nossa casa e por vezes eles vão de ferias com ela unicas vezes em que estão longe de mim. Procuramos sempre que as coisas sejam o mais parecidas com a vida anterior e passamos esta quadra natalicia juntos e com restante familia de parte a parte. Claro que existe sempre um "se" ou "mas" mas no seu todo somos felizes.
"agora com os vossos olhos meditando na vossa situação tenho que vos dizer que muitas vezes é pior um casal fingir que está tudo bem e tornar o ambiente num inferno que dividirem no vosso caso o amor por vós. Têm que compreender que também para nós pais a dor é insupurtavel e a dobrar, pois estamos separados dos filhos e daquela que um dia amamos.Isto não serve de desculpa mas sim para vos chamar a atenção para esta dura realidade. O meu conselho é que tentem nesse dia conseguir com o vosso amor que os vossos pais se esqueçam do que os divide e haja paz. Falai com eles. Dizei o que vos vai na alma, compartilhai esse vosso desgosto e fazei-lhes ver que o Natal é um dia diferente e deve ser vivido em Paz. Fugir ou esconderem-se não é solução, pois será mais traumatizante.

Como pai e separado eu queria deixar este meu testemunho e lembrar-vos que a dor tem sempre duas faces.

Jorge d' Alte

thesoul_feelings_dreams.blogs.sapo.pt/

'Drii disse...

Ai a musica que tu aqui tens rapariga :$
e muito obrigada por teres gostado do meu blog :$
beijinho e sim vou aparecer sempre que poder :)

jonel disse...

olá! bgda pelo coment
Sobre o k escreveste gostaria de frisar que compreendi perfeitamente a tua situação. Não compreendo a cena do teu pai mas infelizmente ela não é unica e quase podia dizer que ocorre em 99% das separações. Infelizmente para ti e para o teu irmão o sofrimento não pára e isso vai-te condicionar o vosso sentido de estar na vida.
Mas tenta falar com o teu pai e fazer-lhe ver que pelo menos nesta altura Natal, fizesse um esforço para que o ambiente familiar fodsse de mais amor.

j d'alte

Enviar um comentário

Espero que tenhas gostado do que leste :D